domingo, 13 de dezembro de 2015

Sem o Shopping / City News, os Domingos Nunca mais Foram os Mesmos... - Por Luiz Domingues



Jornais de bairro sempre tiveram muita força na cidade de São Paulo, exatamente pelos bairros serem gigantescos e terem infraestrutura, e população de cidades grandes interioranas.


Dessa maneira, com muitas notícias locais; interesse comercial em anúncios, e vida sociocultural própria, foram inúmeros os jornais fundados, sendo que em bairros mais populosos, houve época em que várias publicações existiam, estabelecendo uma concorrência, até.


E entre tantos jornais e revistas focados na vida dos bairros, um em particular, marcou no imaginário do paulistano, por ter alcançado um status de “jornal grande”, exatamente por ter alcançado uma impressionante marca de 700 mil exemplares como tiragem, além de ter uma brochura grossa, quase semelhante a jornais top como “O Estado de São Paulo” e “Folha de São Paulo”.


Falo sobre o “Shopping /City News”, que circulava aos domingos, sendo distribuído gratuitamente em lares paulistanos.
Fundado em 1953, por Rubens Prestes Mattar, ligado ao grupo DCI (Diário do Comércio e Indústria), tinha no entanto uma vocação cultural e comunitária, diferente do jornal de leitura pesada e focado no mercado financeiro e indústria & comércio, vocação do DCI.


A publicação tinha dois nomes (chegou a ter um terceiro, "Jornal da Semana"), mas tratava-se do mesmo conteúdo, na verdade.
Como forma de setorizar zonas de distribuição, tinha nomes diferentes, mas isso em nada prejudicava a sua imagem.


Outro grande mérito da publicação, era o fato de seu sustento ser exclusivo de seu espaço publicitário. Os exemplares eram distribuídos gratuitamente nos lares, e por ter crescido muito, naturalmente atraiam o interesse de anunciantes e para todos os bolsos, pois desde grandes empresas e lojas do comércio, até pequenos anúncios de profissionais liberais, procuravam divulgar suas marcas; produtos & serviços, através das páginas do Shopping / City News.


Mas havia mais um atrativo, e a meu ver, o mais forte : a qualidade editorial do jornal, era muito boa.


Ao contrário da maioria dos jornais de bairro, que tem um jornalista experiente para oficializar a publicação, mediante o “MTB” (o registro oficial dos jornalistas), e se valendo de colaboradores diletantes e/ou estudantes de jornalismo como estagiários, o Shopping News conseguiu arregimentar um staff sensacional, com colunistas da pesada.
Com isso, a qualidade do texto, e a diversidade do jornal, estavam asseguradas.
Em seus anos de ouro, teve como editor chefe, o jornalista, Luiz Del Nero Neto.

Como exemplos bons nesse sentido de possuir grandes colunistas, cito Dulce Damasceno de Brito, uma experiente jornalista cultural, e especialista em Cinema.
Dulce foi por anos, uma correspondente brasileira em Los Angeles, cobrindo Hollywood.


Aliás, salvo engano de minha parte, foi a primeira correspondente brasileira, oficialmente a cobrir Hollywood.
São históricas as suas entrevistas com grandes diretores; atores; roteiristas e produtores, cobrindo lançamentos e escrevendo resenhas de filmes.


Por anos, sua coluna dominical no Shopping News, foi um farol para cinéfilos, sedentos de novidades e conteúdo.


Maria Aparecida Saad, colunista social que foi famosa nesse nicho, também mantinha coluna nas páginas desse semanário.


Deise Sabag, jornalista especializada em Moda, era outro exemplo interessante, atingindo o público feminino.
E não se pode deixar de destacar a presença do escritor/cronista/jornalista e editor, Ignácio de Loyola Brandão, que por anos, publicou suas crônicas sobre o cotidiano da metrópole, sempre com aquele sabor de conversa de padaria, no degustar do cafezinho.


Mas os tempos foram ficando difíceis e perdendo força, o jornal passou por dificuldades, e desse imbróglio financeiro, não conseguiu evitar seu fechamento.


Algum tempo depois, sua massa falida foi absorvida pelo grupo DCI (Diário do Comércio e Indústria), agora de propriedade do falecido governador Orestes Quércia.


A partir de 2008, o Shopping News tornou-se um encarte do DCI, com tamanho bem reduzido, mas tentando manter o seu charme do passado.


Claro, num espaço modesto, e encartado num jornal sisudo, onde seu público leitor padrão só esperava notícias sobre economia & negócios, não tinha mais como retomar seu embalo de outrora, infelizmente.
Uma coisa é certa, entre 1953, quando foi lançado, e meados dos anos 90, quando saiu de cena, o Shopping / City News angariou a simpatia de muitos paulistanos.


Os domingos paulistanos, principalmente nas décadas de 50 a 80, que sempre tiveram alguns signos marcantes, podem contabilizar também tal publicação entre eles.


Domingo era dia de acordar com o sino da igreja mais próxima de casa, badalando para chamar os fiéis para a missa; o aroma do molho de tomate que ultrapassava as fronteiras das cozinhas, e se espalhavam pelas ruas; os radinhos de pilhas por todos os cantos, com a voz dos locutores esportivos em frenesi, e a presença do entregador de Shopping News, jogando exemplares nas portas dos lares, antes de acordarmos.
Matéria publicada inicialmente no Site / Blog Orra Meu, em 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário