quinta-feira, 12 de julho de 2012

TV Tupi, Da Loucura à Realidade-- Por Luiz Domingues



Não existe um consenso sobre que inventou a televisão. Desde 1920, experimentos em várias partes do mundo, pipocavam com avanços.

Sabe-se que uma experiência de laboratório em 1925, teria sido a primeira transmissão com movimentos. Entre 1927 e 1928, diversas conquistas ocorreram na Inglaterra, Japão e Estados Unidos.
E em 1930, já se faziam transmissões de eventos ao vivo, com a BBC de Londres em ação. Em 1936, a TV alemã transmite o primeiro jogo de futebol ao vivo : Alemanha x Itália (o placar final foi 2 a 2, para alívio mútuo dos amigos, Adolfo e Benito...).

Esse sonho de implementação da TV no Brasil já dominava as atenções do magnata das comunicações, Assis Chateaubriand durante as décadas de trinta e quarenta.
Perseguindo essa determinação, finalmente persuadiu autoridades, técnicos e fornecedores, a acreditar numa ideia que parecia uma verdadeira loucura para os padrões modestos do Brasil nos anos quarenta, e criou assim a primeira estação de TV da América do Sul e quinta no mundo, a TV Tupi de São Paulo.

Os equipamentos foram 100% importados, pois não havia tecnologia desse porte no país. Em 25 de março de 1950, chegaram por navio dos Estados Unidos, e após um comboio vagaroso do Porto de Santos até São Paulo, foram sendo lentamente montados, inicialmente nos estúdios dos Diários Associados, o Império jornalístico de Assis Chateaubriand, situados à época, na rua Sete de abril, no centro velho de São Paulo.
Dali até agosto, diversos testes técnicos foram feitos. Uma transmissão extra-oficial ocorreu entre os dias 20 e 26 de julho do mesmo ano, apenas no auditório da Faculdade de Medicina da USP, exibindo um documentário educativo.
O transmissor foi alojado no teto do edifício do Banco do Estado de São Paulo, na Av. São João, centro velho da capital paulista.

A inauguração ocorreu oficialmente na noite do dia 18 de setembro de 1950, cercada de improvisos.

Do próprio bolso, Assis Chateaubriand comprou 200 aparelhos de TV e espalhou-os por vários pontos da cidade de São Paulo, visando dar visibilidade ao evento, e estimular o povo a abraçar a novidade.

Um cantor mexicano, Frei José Mojica e a apresentadora/cantora/atriz, Lolita Rodrigues cantaram o "Hino da TV", com letra escrita por Guilherme de Almeida.

Uma menina trajada de índia; o balé de Lia Marques; além da presença de diversos jornalistas; atores de teatro; músicos, e radialistas, todos formando então a matéria prima humana inicial desse advento, estavam presentes também. Coube à jovem atriz Yara Lins, dizer o prefixo da estação inaugurada : "PRF-3".

Muitas lendas urbanas se popularizaram ao longo dos anos. Uma muito engraçada, dava conta de que Assis Chateaubriand, empolgado com o evento, quebrou uma garrafa de champagne em uma das três câmeras disponíveis, danificando-a logo na inauguração.
Cassiano Gabus Mendes, o primeiro diretor artístico da TV Tupi, negou essa versão até falecer em 1993, Segundo ele, teria sido uma piada inventada pelo ator Lima Duarte e que ganhou ares de verdade pelo caráter inusitado da situação tragicômica.
Uma verdadeira loucura, contudo, foi ter introduzido a TV no Brasil, ainda vivendo a lentidão de seu prosaico desenvolvimento industrial, e praticamente centrado na produção rural, como carro-chefe da sua economia.

Chateaubriand foi uma figura polêmica, com inúmeros pontos obscuros em sua biografia e muitas vezes, utilizando de métodos não recomendáveis para obter seus objetivos. A despeito disso, foi o empreendedor que colocou a TV no Brasil, ajudando a alavancar o desenvolvimento nacional, sem dúvida.

E para tal, teve a parcela de insanidade que todo empreendedor precisa ter para arriscar em relação ao novo.
Matéria publicada inicialmente no Site/Blog Orra Meu, e republicada posteriormente no Blog Pedro da Veiga, ambas em 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário