segunda-feira, 29 de abril de 2013

O Grito Primal de Lennon & Yoko - Por Luiz Domingues


Nos primórdios da psicanálise, surgiram diversas ideias e escolas de pensamento correlatas, buscando novos meios de mapeamento da psique humana e suas respectivas técnicas terapêuticas, adequadas, caso a caso.

Entre tantas deduções, surgiu a Psicologia Gestalt, que abriu campo para outros caminhos e estudos.
Algum tempo depois, veio a Gestalt Terapia, que influenciaria um jovem psicólogo norte-americano chamado, Arthur Janov.

Mas foi a partir de uma experiência própria em seu consultório, que Janov teria o insight para desenvolver uma nova técnica.
Vendo um paciente exprimindo sua dor através de gritos dilacerantes, chegou à conclusão que muitos traumas poderiam ser eliminados pelo expurgo visceral e que essa experiência seria a liberação de impulsos reprimidos durante toda uma vida, cuja fonte inicial, seriam as dores adquiridas e esquecidas durante o processo do nascimento das pessoas.

E assim, Janov prosseguiu em suas experimentações, até decidir usar oficialmente a nova terapia, que batizou como "Primal Scream", ou "Grito Primal", na tradução em português.
Mas o grande pulo do gato para Arthur Janov, deu-se quando recebeu no seu consultório um casal ultra famoso no mundo pop dos anos sessenta : John Lennon & Yoko Ono.

Desde que conhecera Yoko, Lennon abriu-se como num caleidoscópio, para absorver diversas ideias novas e isso ficou claro em suas composições para o repertório dos Beatles, no pós-1966.

Claro, historiadores costumam atribuir essa fase psicodélica ao uso de drogas alucinógenas, o que é verdade, contudo, haviam outros elementos a serem considerados.
Um deles, e que a maioria das pessoas não gosta de admitir, foi a influência de Yoko Ono. Sei que isso é polêmico ao extremo, pois a maioria esmagadora das pessoas tem a opinião de que ela "virou a cabeça" dele, negativamente e por isso ela é responsabilizada pelo fim dos Beatles.

Eu me excluo dessa maioria, pois não acredito nessa teoria e indo além, acho que Yoko, ao contrário, o influenciou positivamente, levando-o de encontro à arte avant-garde e sobretudo fazendo-o se conscientizar de que era uma figura mundialmente catalisadora da atenção da juventude e portanto, tinha um papel decisivo como um artista de ideias firmes no campo sócio-político.

E assumindo esse papel, suas ideias nos Beatles a partir daí, passaram a ser muito mais incisivas e na carreira solo, ele "chutaria o balde", lançando músicas de teor político, muito intensas.
Em meio à essa abertura às novas ideias, Lennon & Yoko conheceram Janov e tornaram-se seus pacientes.

Impressionados com a terapia, jogaram-se nela com contundência, sem medo.

Nessa fase, Lennon mesmo ainda como integrante dos Beatles, lança álbuns solo, absolutamente experimentais, com pouca ou nenhuma linearidade musical tradicional e causa furor, dividindo os críticos e chocando os fãs.
Em "Two Virgins"; Life With the Lions"; e "Wedding Album", ele e Yoko já davam mostras de que a terapia do Grito Primal estava influenciando-lhes fortemente.

Contudo, como eram álbuns totalmente desprovidos de musicalidade tradicional, apesar do furor, ainda assim ficaram longe do grande público mainstream.
Mas foi em 1970, quando enfim lançou o que se considera seu primeiro álbum, pós-Beatles, que o Grito Primal de Arthur Janov foi revelado ao mundo. Denominado "Plastic Ono Band", trazia uma coleção de canções lindíssimas, ainda que com carga emocional de muita tristeza e sob sonoridade super simples, sem arranjos sofisticados, muito pelo contrário.


 
O disco inteiro, praticamente, traz canções cruas e viscerais de Lennon, tocando em feridas pessoais. E o uso e abuso de gritos extraídos das entranhas, faz com que o ouvinte mergulhe junto, buscando sensações muito perturbadoras, mesmo que toda essa dor expressa, tenha beleza estética incrível. 

Em "God", Lennon desfila um caldeirão de insatisfações, incluso com os ex-companheiros dos Beatles e era natural que houvessem mágoas naquele momento de cicatrizes abertas.

É dessa música que extraiu-se a frase : "O Sonho Acabou", onde os detratores da Era Hippie a usaram à exaustão, fora de contexto, pois não era o foco de Lennon na música, para destruir, de fato, a ameaça civil que se agigantava e o Festival de Woodstock deve ter sido a gota d'água para a turma de Nixon & Cia.

"Well, Well, Well"; "Isolation"; "Remember"; "I Found Out", também trazem essa carga.

Em "Love", Lennon demonstra que só confiava em Yoko naquele instante, e "Working Class Hero", já mostrava o crítico sócio / político mordaz que viria forte nos discos posteriores.
Em "Mother", Lennon expôs ao mundo sua dor por ter sido abandonado pelo pai e por falta de condições financeiras da mãe, ter sido entregue à uma tia, para ser criado.

Aí, sim, o Grito Primal proposto pelo Doutor Arthur Janov, foi expresso de forma contundente.
Era até surpreendente que uma música com esse teor tão triste e contendo esses berros assustadores e carregados de pura dor, pudesse ter feito sucesso radiofônico, como música pop e isso aconteceu entre 1970/1971.

E assim, o disco inteiro tem essa conotação de catarse pessoal de Lennon.

Particularmente, acho-o belíssimo e é um de meus prediletos da carreira solo dele.
Claro, com a propaganda de Lennon & Yoko, Arthur Janov e sua terapia do "Primal Scream" ficaram mundialmente famosos.

Janov virou uma espécie de persona pop também, solicitado para entrevistas e recebendo pedidos de consultas de outras pessoas famosas (e também de futuros famosos, pois Steve Jobs, que na época era apenas um hippie nerd da universidade, esteve entre eles).
E o lado ruim da fama se deu quando muitos terapeutas passaram a adotar a "Primal Scream", sem orientação direta de Janov e as autoridades da psicologia caíram em cima, não reconhecendo a técnica oficialmente, e tecendo críticas pesadas, pondo em dúvida sua eficácia.

Passada a "moda", o grito primal foi caindo em esquecimento, mas Janov continua firme e forte, com 89 anos de idade em 2013 e trabalhando normalmente em seu consultório na Califórnia.
Escreveu muitos livros abordando a técnica por ele desenvolvida e mesmo sem a força adquirida naquela época, com Lennon & Yoko divulgando suas ideias, é um profissional convicto de que sua ferramenta terapêutica é eficaz.

O único senão, é que após tanto tempo praticando, sua voz sofreu danos, com as cordas vocais esmorecendo.

Todavia, mesmo sem a potência de outrora, Janov ainda acredita na força libertadora do grito e se conhecesse o Brasil e nossa cultura, certamente ficaria encantado com a expressão popular : "Matando cachorro a grito"...

Matéria publicada inicialmente no Blog Limonada Hippie em 2013. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário