quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Tuca, Uma Artista Esquecida - Por Luiz Domingues

No Brasil existe um triste paradigma, difícil de ser rompido. Trata-se do histórico descaso com a sua memória, em todas as áreas, e no campo das artes, isso promove uma série de injustiças, que espero um dia sejam devidamente revistas.

Se artistas de grande relevância caem no esquecimento eterno rapidamente, o que dizer então de outros mais obscuros que nunca alcançaram grande projeção, a despeito de seu inegável talento ?


É o caso da cantora/compositora e musicista, Tuca, por exemplo.

Valenza Zagni da Silva nasceu em São Paulo, capital, no ano de 1944. Apelidada de "Tuca", formou-se em música erudita no conservatório paulista em 1957.

Posteriormente ingressando na FAU da USP, integrou-se ao grupo de música da faculdade.

Em 1962, teve pela primeira vez uma composição sua gravada, no disco da cantora Ana Lucia.
Logo a seguir, Tuca aventurou-se a cantar suas próprias canções e sua primeira apresentação na TV, foi no programa "Primeira audição", na TV Record de São Paulo.

Dali em diante, Tuca foi aparecendo nos festivais da MPB que as TV's faziam costumeiramente na década de sessenta. Participou por exemplo dos Festivais da TV Excelsior, TV Rio e TV Globo.
Lançou seu primeiro LP em 1968, chamado "Eu, Tuca", pela gravadora Chantecler.

Causou espanto ao misturar orquestrações sofisticadas com teor erudito, à violas caipiras de música de raiz.
Descontente com a falta de alavancagem na carreira e também pelos ventos tenebrosos da ditadura em voga no Brasil, em 1969 fixou residência em Paris, onde morou por cinco anos e se tornou amiga de Françoise Hardy, participando de gravações da cantora francesa em estúdio, inclusive com composições, como se vê na capa do LP "La Question", de 1971, abaixo.
Voltando ao Brasil, lançou em 1975 o LP : "Dracula, I Love You".

Tuca era uma compositora e cantora sui generis, que gostava de ousar, fazendo uma música aberta e muito cosmopolita.

Ela faleceu em 1978, vítima de uma parada cardíaca decorrente dos efeitos de sucessivos tratamentos de emagrecimento, mal sucedidos.
Ela tinha apenas 34 anos de idade, e muito o que contribuir à MPB, com sua capacidade criativa.

E entrou lamentavelmente assim para o rol de talentos que a falta de memória brasileira costuma condenar ao esquecimento.
Matéria publicada inicialmente no Site/Blog Orra Meu e posteriormente republicada no Blog Pedro da Veiga

4 comentários:

  1. Assim como aconteceu com a compositora/cantora Tuca, houve (e há ainda) milhares de talentos que o Brasil não valorizou, preferindo outros sem talento que estavam amparados pela maldita mídia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Everaldo :

      Infelizmente você está certo e o Brasil tende a tratar seus artistas dessa forma. E é verdade também a sua colocação final, pois a mídia anda de braços dados com a máfia que domina a música mainstream.

      Valeu por ler e comentar com propriedade !

      Excluir
  2. Falou tudo, Carlinhos...

    Triste mania deste país que não muda, portanto não evolui.

    Grato por ler e comentar !

    ResponderExcluir