sábado, 2 de junho de 2012

Falklands ou Malvinas ? - Por Luiz Domingues


Um arquipélago remoto no extremo sul abaixo da linha do Equador, muito longe de tudo e perto do polo sul, formado por duas ilhas grandes e cerca de 700 ilhas minúsculas, é alvo de uma disputa territorial ferrenha há séculos.

Dominado pelos britânicos oficialmente desde 1833, as Ilhas Falkland são território de sua Majestade , a Rainha Elizabeth II e fim de papo para os britânicos. Mas não pensam assim os argentinos que as reclamam para si há séculos, desde sua independência da Espanha no século XIX.
Vamos aos fatos : realmente essas ilhas tiveram muitos visitantes europeus ao longo dos tempos. Américo Vespúcio, comandante veneziano, foi o primeiro europeu a pisar nelas, mas o processo de colonização/anexação foi mudando de mão em mão, várias vezes.

Em princípio, espanhóis e britânicos dividiram o território entre seus respectivos reino e império. Os franceses também chegaram e abocanharam um pedaço, mas posteriormente venderam sua parte para a Espanha.
Mas tudo isso no campo meramente territorial, pois durante séculos, as Ilhas não passavam de lugares inóspitos com poucos habitantes, nenhuma infraestrutura e poucos colonos vivendo de uma parca criação de cabras, ovelhas e agricultura primitiva.

Isso sem contar anos e anos de total abandono, com nenhum "dono" se importando com o território.
Contudo, no avançar dos tempos a disputa acirrou-se, já com a República Argentina independente, reclamando seus direitos territoriais.

Em 1966 por exemplo, houve uma tentativa de invasão, prontamente rechaçada pelos britânicos.

Mas foi em 1982 que a temperatura esquentou de vez, com a infame Guerra das Malvinas, quando o governo ditatorial dos militares argentinos manipulou a opinião pública, de maneira a inflamar um sentimento de patriotismo descabido em torno de uma causa sem sentido.
Para que a Argentina quer a posse das Ilhas Malvinas ? Qual o critério para se julgar ser aquele arquipélago, seu território legítimo ? Seria a questão da proximidade geográfica ? O fato de ter governado aquelas ilhas num período de 13 anos (entre 1820 e 1833) ? Ora, a ocupação se deu por força do envio de soldados mercenários e o Império Britânico estava totalmente desinteressado em dominá-lo nessa época. Quando mudou de ideia, apenas comunicou aos argentinos para se retirarem e retomou a posse sem problemas.

No caso da guerra de 1982, muitas vidas foram estupidamente ceifadas em torno dessa aventura maluca dos militares argentinos.

Agora, a presidente Cristina Kirchner vem à público retomar essa reclamação e o governo Britânico esboça atenção, com manobras militares na região.
Todavia, agora enfim apareceu um motivo plausível, pois o governo britânico anunciou a descoberta de jazidas petrolíferas, portanto, a cobiça agora tem um motivo concreto.

E o que diz o povo das Falklands ? Em recentes dados revelados por institutos de pesquisa, a imensa maioria da população nem cogita deixar de ser britânica. Pelo contrário, os "Kelpers", como são conhecidos os nativos das Falklands, ironizam as pretensões dos argentinos.

Fala-se inglês em todo o território, a BBC é a TV mais vista, crianças jogam futebol nos campinhos usando camisetas dos times da Inglaterra e a diversão maior do povo, são os pubs, típicos britânicos.
Matéria publicada inicialmente no Blog Planet Polêmica, em 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário