domingo, 3 de junho de 2012

Rock Around the Clock, Pioneiro no Conceito "Rock Movie" - Por Luiz Domingues


Quando o filme "The Wild One" (O Selvagem), com Marlon Brando e Lee Marvin foi lançado em 1951 (sob a direção de Laslo Benedek), havia um sinal claro que algo novo estava no ar.

Tanto é assim, que um aviso foi dado numa locução em off, alertando os "pais e responsáveis", que um perigo de ordem social incalculável assolava a América : Gangs de jovens arruaceiros, pilotando motocicletas e desobediência civil à vista...

Tinha um toque de filosofia beat, mas não era um road movie explicitamente da beat generation e tampouco tinha o conceito de Rock, pois isso ainda nem existia formalmente.


Depois veio "Blackboard Jungle" em 1955, ainda mais assustador e o Rock como estilo musical ainda engatinhando, ganhou espaço, com a inclusão da música "Rock Around the Clock", de Bill Halley and his Comets na trilha.

 

Foi um estouro e daí motivaram-se a lançar o filme "Rock Around the Clock", para começar a explorar esse crescente novo filão da música como elemento agregado à ideia de juventude.
O filme em si não é nenhum primor. Com roteiro quase nulo, conta a história de um produtor musical que descobre um conjunto promissor e seus esforços para catapultá-lo ao sucesso.
O conjunto é o próprio Bill Halley and His Comets e outros grandes nomes da cena cinquentista participam, como o lendário radialista Allan Freed; The Platters; Ernie Freeman Combo; Tony Martinez and His Mambo, e Freddie Bell and His Bellboys.
Com baixo orçamento de padrão B-Movie, o filme é simples em todos os quesitos técnicos, mas é um grande marco para essa bela vertente que inaugurou, associando o cinema ao Rock.
O filme causou frisson no mundo inteiro, havendo relatos de cadeiras quebradas em cinemas, não por truculência, mas simplesmente pelo fato das pessoas não aguentarem assistir sentadas e se pondo a dançar sobre elas.

Visto hoje em dia, quase 60 anos depois, parece inacreditável que um filme tão ingênuo possa ter provocado esse frenesi, mas isso dá a dimensão exata de quantos paradigmas comportamentais mudaram nesse período e por conseguinte, dá para imaginar a libido daquela garotada extravasando em meio à uma sensação de liberdade, naquele mundo formal e austero pré-contracultura.
Garotada aliás, que hoje é septua-octagenária, sem dúvida.

Com essa explosão do filme e a crescente explosão radiofônica de vários artistas geniais, o Rock and Roll cinquentista firmou-se a alicerçou as bases para se tornar uma instituição sólida.
Matéria publicada inicialmente no Blog do Juma, em 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário