sexta-feira, 1 de junho de 2012

Quarta-Feira, O Dia do Grito - Por Luiz Domingues


Na cultura popular brasileira de uma forma geral, a quarta-feira é geralmente associada à feijoada, promoções de frutas & legumes nos supermercados e ingressos de cinema mais baratos.

Mas de uns anos para cá criou-se um outro hábito, que motivado por uma série de fatores alheios à vontade geral, tornou as noites de quarta, verdadeiras noites de berros aterrorizantes, insultos e impropérios descabidos num ambiente social ideal.
Os fatos são os seguintes : em primeiro lugar, uma rede de TV poderosa detém o monopólio das transmissões esportivas há anos. E dessa forma, manipula o espetáculo futebolístico ao seu bel prazer.

Portanto, dentro de suas prerrogativas contratuais, mantém o horário das rodadas noturnas de quarta-feira, dentro de seus interesses comerciais, conforme a grade que lhe convém.

Posto isso, as partidas começam no estapafúrdio horário de 22:00 h, ou seja, após a "novela das 8", que na verdade, começa às 9...

E daí, com transmissões começando em pleno horário da Lei de Silêncio, como dizer ao cidadão comum, o torcedor apaixonado, que ele não pode extravasar suas emoções em grande profusão ?


Sendo assim, com comportamento similar ao das arquibancadas dos estádios, as pessoas berram, comemoram gols de seu times e os de outras partidas que lhes interessam em termos de classificação ou gols sofridos por times rivais que odeiam.

Em grandes cidades, onde a existência de muitos condomínios é gigantesca, os prédios viram verdadeiros campos de batalha verbal.

É muito comum as pessoas marcarem bem as janelas, sabendo quem é torcedor de qual time e daí, a cada gol, cada jogada polêmica, cada resultado sacramentado, o troglodita vai à janela e solta o verbo, em plenos pulmões, xingando, ofendendo, provocando...


Como se o berro aterrorizante e o teor das ofensas dirigidas, fossem endereçadas diretamente ao seu desconhecido desafeto (aliás, isso por si só, já é um absurdo), não levando em consideração que num condomínio, existem pessoas querendo descansar após um dia extenuante de trabalho ou estudos (ou ambos !), idosos, pessoas doentes, crianças, animais de estimação que enlouquecem...

Isso sem contar o foguetório...O que tem na cabeça um cidadão que estoura um rojão na sua janela, à meia-noite de uma quarta que não é "reveillon" ?

Tenho visto em vários edifícios, avisos nos elevadores, com comunicações de seus respectivos síndicos, alertando moradores no sentido de não extrapolarem em suas manifestações nos jogos de quarta, inclusive ameaçando com multas pecuniárias salgadas.

Chegamos num ponto onde não é necessário mais ver pela TV, nem ouvir a tradicional transmissão radiofônica para saber dos resultados da rodada, pois os berros alucinados nos avisam a cada gol que sai...
Matéria publicada inicialmente no Blog Futebol Apaixonante, do jornalista Thomas Lagôa, em 2012.

2 comentários:

  1. Pois é, eles deveriam interfonar ou ligar para o tal torcedor adversário e berrar diretamente no ouvido dele ao invés de incomodar aqueles que não estão participando dessa batalha verbal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha ha ha...seria mesmo o ideal ao invés dessa gritaria que inferniza a vizinhança toda, gostando ou não de futebol...

      Excluir