sexta-feira, 18 de maio de 2012

McCartney : Vivo ou Morto... - Parte 1 - Por Luiz Domingues

Foi a partir de agosto de 1966 que os Beatles pararam de se apresentar ao vivo. 

Um dos motivos foi a mudança do repertório a partir dos LP's "Revolver" e "Rubber Soul", ambos lançados em 1966, onde os arranjos sofisticados, com a inclusão de diversos instrumentos exóticos, mais orquestrações e doses maciças de experimentalismo, deixaram-nos impossibilitados de executar ao vivo essa exuberância toda, devido à tecnologia incipiente da época, para shows ao vivo. Hoje com os recursos do momento, Paul McCartney excursiona o ano todo, executando músicas dificílimas dos Beatles, sem dificuldades em reproduzir o arranjo ipsis litteris dos discos do "Fab Four".


Um outro motivo crucial à época, era o stress absoluto em que os quatro Beatles enfrentavam por estarem emendando turnês desgastantes há anos e sobretudo ainda mais cansativas pelo fato da tecnologia de áudio para tal, ser absurdamente tosca naquela época, trazendo-lhes inúmeros transtornos em cada apresentação ao vivo.

Dessa forma, assim que anunciaram que se dedicariam somente à gravação de álbuns e eventuais produções de promos e filmes, surgiu um boato que foi crescendo em proporção geométrica, até se tornar uma das mais famosas lendas urbanas do mundo do Rock e quero crer, até extrapolando esse universo artístico.

Segundo se espalhou, Paul McCartney havia falecido durante um acidente de carro em 1966 e esse teria sido o real motivo dos Beatles não se apresentarem mais ao vivo doravante. Em seu lugar, fora colocado um sósia para aparecer em fotos e filmes, mas na realidade, os Beatles haviam se reduzido a um trio.

Com requinte, dizia-se que teria sido decapitado no tal acidente, ocorrido numa quarta-feira às 5:00 h da manhã. Um ano depois, quando o LP "Sgt° Peppers Lonely Hearts Club Band" foi lançado, muitas pessoas interpretaram essa história da "decapitação", num trecho da letra da música : "A Day in the Life", onde está escrito : "He Blew His Mind out in a car...he didn't notice that the lights has changed" ("Ele tocou sua mente para fora do carro, ele não percebeu que as luzes mudaram").
Sofisticando a lenda, espalhou-se a ideia de que haviam feito um concurso secreto para escolher um sósia e que o vencedor teria sido um tal William Campbell, cujo codinome "Billy Shears" virou personagem da canção que dá título ao LP "Sgt° Peppers..."
E indo além, diziam que o sósia teria submetido-se à inúmeras intervenções cirúrgicas para ficar idêntico à McCartney e que só uma cicatriz foi impossível de ser removida. Na realidade, McCartney sofrera um pequeno acidente de moto em 1966 e de fato, ficou com essa cicatriz para sempre.

Daí em diante, a cada disco , foto, vídeo ou aparição pública em que os Beatles compareceram, diversos pontos foram sendo arrolados pelos amantes da teoria da conspiração, por ingenuidade ou para colocar mais lenha na fogueira.

Sobre as principais supostas "pistas" dessa teoria, arrolo na próxima parte da matéria.

Continua...

2 comentários: