quinta-feira, 31 de maio de 2012

Painéis da São Paulo Antiga - Por Luiz Domingues



Espalhados por vários pontos da capital paulista, grandes painéis chamam a atenção pela beleza artística e sobretudo pelo caráter nostálgico de retratar a São Paulo de décadas atrás.

São paisagens urbanas, com cenas do cotidiano das décadas de 1910 a 1960, principalmente, do século passado.
Tratam-se de painéis de grandes dimensões, com a mescla da arte tradicional e o grafite urbano.

Geralmente inspiradas em fotos antigas e em preto e branco, respeitando a impressão causada pela foto, mas em alguns casos coloridas , usando a imaginação do artista.

E de quem estou falando, afinal ?

É de Eduardo Kobra, paulistano de 36 anos de idade, fortemente influenciado pela arte urbana do grafite e admirador confesso do artista novaiorquino, Eric Grohe.
A Obra de Kobra encanta pelo detalhismo, beleza estética e certamente pelo fator resgate, trazendo uma rara memória paulistana, pois é mesmo difícil a preservação do ambiente urbano numa megalópole como São Paulo, onde a especulação imobiliária, invariavelmente é desumana.

Um dos mais lindos painéis, ao meu ver, está na Av. 23 de maio, na altura do Viaduto Tutóia, onde uma São Paulo dos anos vinte, fica observando o caos do gigantesco fluxo de automóveis da São Paulo atual.
Eduardo Kobra, tem o seu estúdio próprio (Studio Kobra) e a este projeto em específico, dá o nome de "Muro das Memórias".

Eis aí um exemplo de como o grafite pode ser artístico, belo e promotor de uma memória raramente evocada do paulistano por sua própria cidade.
Matéria publicada inicialmente no Site/Blog Orra Meu, e republicada no Blog Pedro da Veiga, ambas em 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário